quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

JOÃO CABRAL DE MELO NETO e SIMONE DE BEAUVOIR

Parece absurdo associar estes dois nomes tão distintos, mas quis a cronologia dos aniversários que eles se aproximassem. Simone de Beauvoir, a escritora do feminino, nasceu no dia 9 de janeiro (de 1908), tal como João Cabral de Melo Neto, o poeta brasileiro de "Morte e Vida Severina" que nasceu igualmente a 9 de janeiro (de 1920). Aproxima-os ainda a grande literatura do século XX, para a qual ambos contribuíram decisivamente e ainda a voz revolucionária e insubmissa que ambos ergueram. Nunca é demais render-lhes a nossa homenagem, relendo-os.



Tecendo a Manhã 

1 
Um galo sozinho não tece uma manhã: 
ele precisará sempre de outros galos. 
De um que apanhe esse grito que ele 
e o lance a outro; de um outro galo 
que apanhe o grito de um galo antes 
e o lance a outro; e de outros galos 
que com muitos outros galos se cruzem 
os fios de sol de seus gritos de galo, 
para que a manhã, desde uma teia ténue, 
se vá tecendo, entre todos os galos. 

2. 
E se encorpando em tela, entre todos, 
se erguendo tenda, onde entrem todos, 
se entretendo para todos, no toldo 
(a manhã) que plana livre de armação. 
A manhã, toldo de um tecido tão aéreo 
que, tecido, se eleva por si: luz balão.


João Cabral de Melo Neto (1920-1999)

         in A Educação pela Pedra

1 comentário: