domingo, 20 de janeiro de 2013

Ó PORTUGAL, HOJE ÉS NEVOEIRO…

20 de Janeiro de 1554: nascimento de D. Sebastião

De D. Sebastião interessa-nos sobretudo o mito e o seu profundo rasto na Literatura.
Por isso, usamos o pretexto do aniversário do seu nascimento para reler e dar a ler um dos mais belos poemas de Mensagem de Fernando Pessoa tutelado pelo Sebastianismo. Um poema dramaticamente actual.  


Nevoeiro

Nem rei nem lei, nem paz nem guerra,
Define com perfil e ser
Este fulgor baço da terra
Que é Portugal a entristecer –
Brilho sem luz e sem arder,
Como o que o fogo-fátuo encerra.

Ninguém sabe que coisa quer.
Ninguém conhece que alma tem,
Nem o que é mal nem o que é bem.
(Que ânsia distante perto chora?)
Tudo é incerto e derradeiro.
Tudo é disperso, nada é inteiro.
Ó Portugal, hoje és nevoeiro…

É a Hora!

               Fernando Pessoa, Mensagem

(E para brincar um pouco, "Os demónios de Alcácer-Quibir" de Sérgio Godinho)



1 comentário: